domingo, 30 de dezembro de 2012

Little Wing - Stevie Ray Vaughan

Contagem decrescente para o final do ano. Desejo a todos um 2013 cheio de muita saúde e energia para enfrentar os desafios que aí vem. Por um Portugal melhor e mais justo "A Luta Continua"

domingo, 23 de dezembro de 2012

Feliz Natal - Parte II


Para todos os homens e mulheres do meu país que lutam diáriamente contra as politicas de desgraça.
Em 2013 a "LUTA CONTINUA"
 

Feliz Natal

Num dia, apenas num só
os homens fazem de actores
vestem trajes a rigor
cantam palavras de amor
dão abraços e sorrisos
e dos outros tem dó.
Neste palco iluminado
o pobre e o abastado
a vitima e o assassino
fazem a festa em conjunto
puxam pela corda do sino
e fazem-no badalar
tanta alegria no ar, toda p`ra distribuir
que faz toda a gente rir
... mas é apenas um dia.
Que num palco de hipócrisia
se comemora um momento
e, em todo o resto do ano
deixamos que o sofrimento
se espalhe em nosso redor
se espalhe em focos de dor.
E, então eu posso dizer
acho que não digo mal
e, isso faz-me entristecer
que se confunda o natal
com um dia de carnaval.

(podiamos era uma vez por ano brincar ao maus ! que acham !)

A todos desejo "Festas Felizes"       

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Avejão - Gaiteiros de Lisboa

PARA BOM ENTENDEDOR, UMA CANÇÃO BASTA !

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

UM VERDADEIRO CONTO

OS INTERVENIENTES DO CONTO DO RECTÂNGULO

CAPITULO XI – Os fundadores da corrupção
“Estes são alguns dos políticos que nos levaram para o abismo
O povo do rectângulo ainda acredita, os idolatra e aceita isto
Está na altura de mudar e de entrar em realismo
E começar a varrer e a fazer a limpeza nisto”
 

 PRIMEIRA PARTE

- Carneiro o Idolatrado – Este também soube viver da situação de o Povo do Rectângulo ser inculto, perceber pouco de politica e ter estado muitos anos a viver uma Ditadura. Logo a seguir ao conto da liberdade, é ele que com mais alguns forma um dos partidos do actual do Arco do Poder (conforme lhe chamam alguns dos Políticos falhados do rectângulo, mas que agora se tornaram comentadores televisivos). É ele que vindo da Antiga Assembleia Nacional (aquele órgão de soberania que aplicava as leis da repressão, onde ele também estava, pois era deputado), cria o partido dos laranjinhas. Logo se reparou que tudo o que era apoiantes do Antigamente se refugiou nesse partido. Eram os filhos dos destituídos que por lá andavam (sempre serviria para vingar o paizinho que tinha sido tirado do poder). Era conhecido como o partido dos patrões, pois foi para lá que quase todos os patrões se filiaram. Era um partido com muito dinheiro, e já nessa altura aquando das Campanhas eleitorais, pagava para que lhe colassem os cartazes e lhe fizessem a segurança aos comícios. Também costumava arrebanhar o Povo do Rectângulo, normalmente das aldeias para virem aos comícios. (normalmente o cacique da terra pegava nos velhinhos e velhinhas e organizava uma excursão para que eles fizessem numero para o comício, ainda hoje os laranjinhas fazem isto). Este Sá tinha uma ambição, que era o aplicar no rectângulo a experiência que um país do Norte do continente, que era a Social-democracia do tal país do norte, como se algum dia a pudesse implementar no rectângulo, com a quantidade de patrões e políticos corruptos que abundavam no partido que ele fundou e que ele sabia que por lá andavam aguardando a oportunidade de deitar a mão ao controlo do partido e mais tarde ao Poder do Rectângulo. Acabou por morrer, num atentado que possivelmente foi comprado por aqueles que queriam a todo o custo começar a mandar no partido que ele fundou.

- Soares o Moina – Também este soube viver com a situação, chamam-lhe um camaleão político mas é bem mais do que isso, é um oportunista, um vendilhão do rectângulo e adora o Poder. O mandar para ele é tudo. O seu percurso político começa no PC, mas logo repara que não chega ao poleiro do partido e desvincula-se. É preso varias vezes pela policia do rectângulo, mas por incrível que pareça, nunca teve o mesmo tratamento de alguns que eram presos e que depois eram deportados, torturados, e metidos em celas individuais, e de onde só saíam da cela, uma ou duas horas, ou então eram enfiados em qualquer forte, como alguns que fazem parte do rectângulo, (há um quase junto da Capital do rectângulo e um outro junto de uma cidade piscatórias mais ao centro de Rectângulo). Um dia foi deportado, mas antes de ir para o meio do Oceano que banha o rectângulo lá para os lados de um continente que fica abaixo do rectângulo, não mandam-no para a capital da Luz. Um exílio dourado, pois afinal o menino era filho de alguém importante. Esta apetência para ser contestatário ao Regime podia passar, podia ser um desvario da juventude. Por lá vai ficar, na cidade luz, e por lá vai refundar outro partido do actual “Arco do Poder” o tal da rosa, até acontecer o conto da liberdade. Vai protagonizar um dos momentos mais marcantes da história do Rectângulo. É ele que nos vai vender mais tarde à “SEITA DA CEE”. É com ele que muitos corruptos ligados ao partido que funda, ou refunda, lá na cidade luz, vão ficar muito ricos. É ele que mais tarde também já velho e senil queria ser outra vez o Chefe Supremo do Rectângulo, quase obrigando o partido, da qual ainda se julga dono a apoia-lo. É também ele que vai adquirir uma data de terrenos no Rectângulo onde julgaria que com a sua influência, iriam construir um “sítio onde iriam aterrar aeroplanos”. É ele também que tem uma Fundação com arquivos que deviam estar na posse do museu central do rectângulo, mas aos quais ele deitou a mão, para que depois possa receber mais alguns dinheiritos do Orçamento do Rectângulo. É também ele que sempre condenou um “botas” por estar agarrado ao poder, mas que agora ele também o está. É também dele esta brilhante frase dita no tempo do Conto do Terror “ELE SÓ LARGARÁ O PODER QUANDO CAIR DA CADEIRA”.

- Almeida Santos a Múmia – Também ele um bom elemento da Seita que soube viver com o nascimento da Aurora da Liberdade. Este veio de um ex território que o rectângulo conquistou a uma dúzia de indivíduos de cor, que na altura só tinham “arcos e flechas”. É um retornado. Também tentou ser deputado no tempo do conto do Terror, mas nunca conseguiu. Depois meteu-se no partido da Rosa, e foi Presidente da Casa do Povo do rectângulo. Foi um dos elementos do partido da Rosa que defendia que o novo lugar onde se devia construir o mamarracho onde iriam pousar os aeroplanos, deveria ser numa terrinha chamada Ota, onde o Moina e ele já tinham adquirido os terrenos para depois os venderem pelo dobro do que investiram. Justificava a localização do lugar com a defesa de futuros atentados terroristas, defendendo que o novo lugar devia ser na tal Ota e não depois do rio. Actualmente é presidente de uma empresa de investimentos onde são sócios o Ferro do partido da rosa e um tal chinoca Ho (dono de uns casinos) e de mais outro Ho. É um acérrimo defensor de quem foi, ou é político, deputado, ou membro ilustre de partido político do arco do poder, é sempre um indivíduo idóneo, honesto e sem mácula. Actualmente foi ao tribunal defender o amigo Vara no caso que envolve a compra e venda de muito material (ferro velho) a um tal Godinho, o Sucateiro de uma terra do rectângulo muito parecida com Veneza. É membro da maçonaria, uma tal organização secreta que ninguém sabe porque razão existe e para que servirá. Foi também esta múmia que declarou enquanto presidente da casa do Povo do rectângulo que “os deputados nem dinheiro ganham para transportes e por isso têm de ter o Passe para andar nos transportes públicos É uma verdadeira múmia que só deixará o poder quando for definitivamente enterrada.

- Ângelo Correia o cara de Bode – Este também veio do antigamente. Foi membro de uma Organização no tempo o conto do terror, essa organização costumava arrebanhar os jovens para depois os instruir na defesa da obscuridade e da intolerância. Era uma Organização como uma que existiu em 1938 num dos países que hoje se diz amigo do Povo do rectângulo, (o tal dos Chanceleres) mas que conseguiu no século XX arranjar duas guerras no continente em que está inserido o Rectângulo. Essa Organização chamava-se Mocidade Portuguesa. Com ao nascimento da Aurora da Liberdade este “Gajo” também um grande Camaleão muda-se para o partido fundado pelo Carneiro o Idolatrado e por lá se tornou “um grande Líder”. Soube viver com a situação e depois de ter sido Ministro e deputado, optou por ser empresário, diga-se de sucesso, pois foi presidente de algumas das empresas do Grupo Estado que deram sempre prejuízo. Por aqui se pode ver a verdadeira competência de quem veio também do tempo do obscurantismo. Também actualmente é um dos comentadores que pululam nas TV do rectângulo, nem que seja para defender o que não pode ser defendido. É Cônsul honorário de um Reino Democrático ali para os lados das arábias, onde normalmente as mulheres não saiem de casa e se saírem têm de vir cobertas e não mostrar a cara, e onde os homens as podem apedrejar, bater e fazer o que querem delas. Foram estes os ensinamentos que recebeu no tempo em que foi da Mocidade Portuguesa (Deus, Pátria e Família) e por isso é o cônsul desse Reino.

- Freitas o Traidor – Também ele vindo da Assembleia Nacional e até ser apelidado de “delfim” do último governante do rectângulo, antes do inicio do Conto da Liberdade. Também ele funda um partido juntamente com mais alguns membros da antiga Assembleia Nacional, vai ser um partido do centro, mas logo também se repara que por lá se filiaram os que apoiavam o antigo regime. Era o ver velhas, beatas, padres e outros que viram os seus privilégios serem retirados. É este partido que sempre se recusou a apoiar a Constituição do Rectângulo. É também este partido que mais atentados cometeram na altura do PREC, pois arrebanhava criminosos e mais alguns indivíduos sedentos de dinheiro e que depois a troco de algumas moedas dadas a esses indivíduos os mandava incendiar as sedes do PC do MDP/CDE, MRPP, UDP, LCI, PSR, etc. Também ele concorreu a Chefe supremo do Rectângulo, mas não conseguiu chegar ao poleiro. Um dia alguém o correu também do partido que fundou e ele como qualquer traidor, logo arranjou outro (passou a apoiar o da Rosa). Devido a ter feito essa volta de 360º nas suas convicções políticas, o partido da Rosa o propôs e apoiou para um cargo universal, que sinceramente ninguém sabe para que ele existe, pois se apregoa a Paz, a maior parte das vezes incentiva a guerra nesta bola que flutua no espaço.

- Adelino A. Costa o Saudosista – Este também veio do Regime do Terror, pois foi director do gabinete do Ministro da Educação aquando da era do Veiga Simão, no tempo do regime do terror. Andou na guerra colonial mas na marinha, já que os de cor e que combatiam os tropas do rectângulo nunca tiveram barcos para combater e assim era protegido, já que pertencia ao regime. Também é fundador do tal partido que o Freitas fundou. Também foi deputado e quando o mandaram para o outro mundo era Ministro de Defesa do rectângulo. Também ele foi vítima dos “amigos” que tinha tanto no partido dos Laranjinhas como no dele apesar de tanto uns como outros sempre tentarem por as culpas em comunistas. Como mais tarde se vai comprovar, tudo não passou de um atentado preparado pelos “amigos” dos partidos que ele tanto gostava, pois vai aparecer alguém que não poderá ser preso, pois já passou o tempo de ser julgado que vai contar como tudo se passou. Claro que também alguém irá outra vez propor mais uma Comissão de inquérito, para averiguar se o que diz o tal senhor é verdade ou não e até para os senhores que estão sentados na casa do povo do rectângulo poderem ganhar mais alguns cobres, pois com a crise que se vai instalar nessa altura no rectângulo, vão mesmo precisar.

Mas nem só do lado direito da Politica do rectângulo existem traidores e oportunistas, que só vêm o poder e o tentam adquirir a todo o custo, também na ala esquerda existem, vamos ver alguns exemplos:

- Arnaldo Matos, o Papagaio – Foi um dos fundadores de um dos partidos mais badalados do tempo do PREC, esse partido fundado em 1970. Aquando da aurora da liberdade no rectângulo andava na clandestinidade, logo se perfilou na extrema-esquerda. O seu inimigo maior era o PCP ao qual chamavam revisionistas. Também não aceitavam nem gostavam de outros partidos da mesma linha política, quem não se lembra do conflito entre a UDP e o MRPP, numa cidade do Norte do rectângulo, cujas sedes eram mesmo num dos edifícios mais emblemáticas dessa cidade, pois lá tinha estado sediado um Jornal do Rectângulo que hoje ainda existe. Mais tarde esse Arnaldo deixará o Partido que fundou (isto em 1982), com a justificação de que a contra Revolução é que tinha ganho. Mas logo a seguir, como a sede do poder era muita, lá conseguiu ser deputado do rectângulo pelo partido da Rosa. Uma grande volta política que este Papagaio deu, mas o que interessa nestes senhores é Poleiro e ambição de mandar.

- Fernando Rosas, o Ambicioso – Este começou a sua militância no PCP, mas depois deve ter chegado à conclusão de que por lá não conseguia Poleiro e transferiu-se (como qualquer jogador da Bola), para o MRPP, por lá militou no tempo do PREC e como se calhar também começou a ver que por aquele partido não conseguia alcançar o Poleiro, logo se mudou outra vez. Foi para o PSR (Partido Socialista Revolucionário), por onde várias vezes tentou entrar na Casa do Povo do rectângulo como deputado. Por lá andou algum tempo para depois tornar a mudar, desta vez mudou para um novo partido que existe no rectângulo o BE. Aqui conseguiu o que sempre ambicionou, o Poleiro, pois actualmente é deputado na casa do Povo do rectângulo e também consultor da Fundação que o Soares o Moina tem.

- Zita Seabra a viticultora – Esta também é um verdadeiro camaleão da Politica do rectângulo. Começou muito cedo a sua Militância no PCP, esteve presa, foi deputada na Casa do Povo do Rectângulo, mas queria mais, queria protagonismo e mudou-se. Esta mudou-se para o partido das Laranjinhas. Também deu uma volta de 360º nas suas convicções políticas mas nos laranjinhas sempre tem mais possibilidades de manter o Poder e de também ter mais acesso a dinheiro fácil. Depois de ter sido expulsa do PCP chegou a Presidente do Instituto do Cinema do rectângulo, coisa que nunca seria se ainda militasse no PCP, pois normalmente os partidos do arco do poder não distribuem esses cargos pela ala mais à esquerda dos deputados da Casa do povo do rectângulo ou pelos que são dessa ideologia política. Actualmente tem uma subvenção vitalícia de alguns dinheiritos e também já apareceu a fazer publicidade a vinhos numa cadeia de supermercados aqui do rectângulo.

Mais havia que também são desse tempo, todos estão bem, aqueles que ainda por cá andam. Alguns tornaram-se empresários e especialistas em receber fundos vindos da Seita da CEE, outros são comentadores de TV, jornalistas e até dirigentes desportivos se tornaram. Vale tudo nestes senhores para continuar na ribalta do poder.
 O povo do rectângulo esse “come tudo” “aceita tudo” “nada faz” mais parece uma frase que um dia alguém disse “É A SINA QUE O RECTÂNGULO TEM”.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Take Five



Para: Oscar Niemeyer; Joaquim Benite; Dave Brubeck

"O criador desaparece, mas a sua obra fica"
R.I.P.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Manifestação no PORTO - 15h


VEM PARA A RUA ! LUTA !
Por um Portugal com futuro para nós e nossos filhos. 

I can`t, I don`t !!!


UM VERDADEIRO CONTO

OS ALIADOS DO CONTO DO RECTÂNGULO

CAPITULO X
“O rectângulo sempre precisou de aliados
E nunca nenhum verdadeiramente nos ajudou
Sempre por eles fomos vaiados
Verdadeiramente nunca ninguém nos ajudou” 
 

O rectângulo desde praticamente da sua fundação sempre teve aliados, sempre viveu com aliados e sempre precisou da ajuda dos Aliados. É a sina do rectângulo, estar dependente da vontade dos Aliados que escolhe e sempre mal. Também esses aliados são escolhidos a dedo, não pela população do rectângulo, ou por afinidade cultural ou até económica, mas sim, são escolhidos pelos políticos e empresários corruptos que sempre abundaram desde a fundação do rectângulo há cerca de 900 anos. Na verdade o rectângulo é um dos países mais antigos que existe neste planeta esférico e azul suspenso no espaço, mas também foi e é, um dos mais corruptos que existe. Está nos genes dos políticos e empresários do rectângulo.
Como este conto começou na era dos Reis, é por aí que vamos começar a analisar o Aliado da altura.
O rectângulo da altura do começo do conto tinha e sempre teve um aliado, esse aliado era um povo que vivia numa ilha no meio do Oceano que nos banha. Foi sempre concorrente do rectângulo (e feroz) na questão dos descobrimentos dos novos mundos, eles e os nossos grandes inimigos os vizinhos do lado. Foi esse aliado que já nos tinha lixado uma vez, com uma colonização, muito consentida pelos Reis, Duques e outros quejandos, aquando das invasões de um povo que também começou por aspirar à liberdade e acabou por ter uma ditadura de um tal Napoleão, que nesse tempo queria ser o dono do continente e como tal um dia resolveu tentar conquistar o rectângulo. Claro que o rectângulo não tinha força suficiente para aguentar essas invasões e logo, Reis, Duques e outra corja corrupta viu maneira de angariar muitos contos de reis (moeda da altura) com esta invasão. Era preciso material de guerra e o rectângulo não o fabricava. Logo comprou-se o material ao aliado da ilha, mas juntamente com o material veio também uma seria de indivíduos da ilha para nos ajudar. Ajudaram, a mandar construir muita coisa para combater as invasões, mas o trabalho era sempre feito pelo povo do rectângulo. Quando se derrotou os que queriam invadir o rectângulo, os da ilha ficaram, não para nos ajudar a reconstruir o rectângulo, mas sim para nos sonegar as poucas riquezas que pelo rectângulo ainda existiam.
Mesmo assim, continuamos a ser aliados e quando rebentou a primeira guerra no continente onde o rectângulo pertence, os nossos aliados, impuseram ao rectângulo a entrada na guerra e nós (rectângulo), marchamos orgulhosos para a frente de batalha. Claro que os nossos amigos da Ilha, puseram os homens do rectângulo na zona mais feroz da guerra e a prova disso é que por lá morreram muitos dos homens válidos do rectângulo. Claro que nessa altura continuavam os aliados no rectângulo (os tais da ilha) a explorar o vinho, as minas, as fabricas e para que fossem sempre bem recebidos, e até parecerem muito úteis, lá iam dando umas recompensas chorudas aos políticos e empresários corruptos do rectângulo. É desse tempo o existirem os clubes de criket, os jogos de pólo, as praias só para eles (ingleses), e que o povo do rectângulo não podia frequentar, era a obrigatoriedade da utilização de algumas palavras desses colonizadores da Ilha. Era o ter clubes de futebol com nomes e só jogadores deles, era o existir um campeonato de futebol onde só podiam competir clubes que fossem deles, era o terem os melhores terrenos na zona que mais dinheiro arrecadava pela venda do vinho generoso que estava todo dependente dos empresários deles (ainda hoje as quintas do zona Norte onde esse vinho se produz, ostentam os nomes da língua dos da Ilha) etc.
Rebenta uma nova guerra no continente (2ª guerra Mundial), onde o rectângulo está inserido, desta vez é o mesmo país que originou a primeira. Agora esse país do centro do continente é governado por um ditador (um Chanceler) e fez uma aliança com uns amarelos de uma ilha do oriente (governados por um imperador) e também com mais um país do sul do continente (um que parece uma bota), também governado por um ditador. Claro que estes países contam com o apoio mais disfarçado do vizinho do rectângulo, também governado por um ditador e que tinha também aniquilado o seu povo com uma guerra civil, que serviu ao tal país do Chanceler testar os seus novos inventos de material de guerra. Também o rectângulo e como não podia deixar de ser iria disfarçadamente apoiar o “amigo” do centro do continente. Vendo bem as coisas era assim, o tal país do Chanceler tinha dois países aliados declarados e outros dois mais escondidos (o rectângulo e vizinho), mas que tudo faziam para os ajudar. Foi um fartote de ganhar dinheiro com esta guerra, para os políticos e empresários corruptos, pois participavam no esforço de guerra para ambos os lados, pois há boa moda do que agora se passa, os políticos e empresários corruptos, não se fixam num dos lados, não, tentam agradar aos dois lados, pois assim ganham mais. Conseguem passar mais despercebidos e também estão mais garantidos, pois ganhe quem ganhar, também eles são vencedores e mantêm o poder. Nessa altura os políticos e empresários corruptos, vendiam o Volfrâmio (mineral essencial para a construção de material de guerra, extraído nas minas pelo povo, mal pago, explorado e sem horário de trabalho), tanto aos do Chanceler, como aos aliados da Ilha e seus aliados. O rectângulo também participava no esforço de guerra, mandando alimentos para os dois lados, mas obrigando o povo do rectângulo a frequentar filas (do pão, do leite, da massa etc), como se também o rectângulo estivesse em guerra. Claro que muitos políticos e empresários corruptos da altura enriqueceram, pois no mercado negro tudo abundava, mas nas lojas que o regime tinha montado nada havia. Muita repressão se fazia sobre aqueles que não entendiam porque razão o povo haveria de passar fome para ter de contribuir para uma guerra em que nós não participávamos. Muitos foram os que morreram, que foram deportados, que foram presos, para que os políticos e empresários corruptos da altura arrecadassem fortunas, através da venda no mercado negro dos produtos que deveriam ser distribuídos pela população.
Termina a guerra e logo emerge vindo do nada, do outro lado do Oceano, um País. Esse país nasceu do refugo da população do continente europeu e da ilha (criminosos, prostitutas, corruptos), que em tempos foi uma colónia da tal ilha nossa aliada, e que depois de muita mortandade que praticou com os naturais (índios) se tornou independente depois de ter travado uma guerra com o povo da Ilha. Esse país é formado com “lixo” do continente onde o rectângulo está inserido. Esse país tem poucas centenas de anos, não chega a trezentos anos, mas devido a ter participado nos três últimos anos da guerra com os tais países (o do chanceler, os amarelos e os do país da bota), saiu dessa guerra como Potência Mundial, pois devido a ter apanhado (raptado) alguns dos melhores cientistas do tal país do chanceler, tinha uma arma que mais ninguém tinha.
Logo, o mundo passou a viver sobre a fase do controlo e do terror psicológico sobre todos os países da “bola suspensa no espaço” feita por essa nova potência (o tal país feito do refugo do continente).
Como não podia deixar de ser, os políticos e empresários do rectângulo, logo se mudaram para os novos aliados, estes eram mais fortes que os da ilha, havia a possibilidade de se aprender algo mais com eles, pois como eram o refugo do continente, (eram ex-gatunos, ex-prostitutas, máfias, assassinos, etc), tinham muito mais experiência na “arte do roubo e na arte da corrupção”.
Passamos a fazer tudo o que os novos aliados nos diziam para fazer.
Toca a entrar para a ONU, toca a começar a comprar o material de guerra que eles não queriam e que já estava obsoleto, toca a deixar que eles montassem aqui as suas fábricas (multinacionais), para que os lucros fossem mais elevados, pois aqui os trabalhadores ganhavam pouco e não podiam fazer greves, nem reivindicar melhores salários nem condições de trabalho, pois por cá o “botas”, não deixava que ninguém tivesse regalias.
Era só trabalho, ganhar pouco, para ajudar os novos Aliados, pois eles estavam cá no rectângulo para nos ajudar, no desenvolvimento e no crescimento do rectângulo.
Claro que os Políticos e empresários corruptos do rectângulo, continuavam a ganhar muito dinheirinho com esta política de compra de material de guerra obsoleto e na implantação das fábricas, pois os novos aliados os ajudavam a “lavar” o tal dinheirinho que se criava no rectângulo, mas que nunca foi aplicado no desenvolvimento do mesmo. É por essa altura que “demos” uma parcela do território do rectângulo, demos uma parte de uma das nossas ilhas para que eles fizessem um lugar para os aviões militares deles pousarem. Toca a entrar para a Organização deles de guerra (NATO), etc.
Este aliado que de democrático nada tem, é um dos que mais crimes contra a humanidade praticou e pratica (aniquilação total dos índios americanos, aniquilação total de esquimós, maior poluidor da bola suspensa no espaço, maior numero de indigentes e pessoas sem assistência médica e desempregados, o que mais guerras fomentou e fomenta, etc), mas que os nossos políticos e empresários corruptos tanto gostam e seguem.
Quem não se lembra do célebre café que o “CHERNE” foi servir ao “BEBADO” do aliado, ao corrupto do “País dos Czares” e ao “MARICAS” do ex-aliado da Ilha, mas que todo babado foi ao território do rectângulo (isto apesar de a parte onde se desenrolou a reunião ser na tal ilha que demos aos nossos novos aliados), mas o “Cherne” gostou de servir estes três “tiranos do mundo”.
O “Cherne” com essa operação de “empregado de mesa” acabou por tirar os dividendos que sempre almejou o de ser o Presidente da “Seita da CEE”. Era o candidato dos “políticos e empresários corruptos” que por este continente abundam e por isso é o "Chefe da Seita da CEE", pois apesar de ser do continente onde o rectângulo está inserido, mais parece um pau mandado do aliado do tal país que agora é potência mundial, e que há boa maneira dos corruptos que abundam no rectângulo também anda a mando e lambe as “botas” da tal Chanceler do país do centro de continente que duas vezes o tentou conquistar.
Para memória futura fica escrito:
Pode-se conquistar algo, uma pela via da força (fazer uma guerra) mas há outra forma bem mais silenciosa, mais subtil, mais vil, e que ninguém se apercebe, essa é a conquista económica.
É esta a nova guerra, que o tal país dos Chanceleres está a fazer, e como conta com os políticos e empresários corruptos do rectângulo, ainda mais fácil é ganhar esta guerra.
Não espantaria a ninguém que o país dos Chanceleres conseguisse ser o dono total do continente onde o rectângulo está inserido. O futuro do rectângulo está marcado, que é ser uma futura colónia de férias do país do Chanceleres, é para isso que os nossos políticos (os das geração RGA, os da geração rasca, e os actuais) tanto se esforçam e lutam.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Uma Grande Verdade !


Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra



Sophia de Mello Breyner Andresen/Iker Ayestaran

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Orçamento Estado 2013


Escreveu-se hoje mais uma página negra na democracia Portuguesa. Com as desculpas da crise, o governo PSD+CDS-PP, prepara-se para TORNAR NUM INFERNO a vida de centenas de milhares de familias portuguesas.
Até quando POVO, até quando ?!?     

Acordem PORRA !!!


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Traz outro Amigo Também - RESISTÊNCIA



Todos os Amigos/as serão necessários para as batalhas que se avizinham.
CONTRA A PRECARIEDADE E A USURPAÇÃO DE DIREITOS CONQUISTADOS,
- VEM PARA A RUA, LUTA !
"Quem Luta nem sempre ganha, mas quem não luta perde sempre!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Child in Time - DEEP PURPLE

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO RECTÂNGULO COM O TERROR ECONÓMICO

CAPITULO IX

“Uns novos políticos aparecem
Depois do povo ter votado
Muito prometem, nada cumprem
E o povo do rectângulo a ficar cansado”

 

Mais um dia de votos o rectângulo teve, a alternância continua a existir e teimosamente o povo do rectângulo, continua a dar aos mesmos políticos corruptos vindos ora dos laranjinhas, ora vindos da Rosinha, o privilégio de eles continuarem o saque do rectângulo.
Agora chega a vez de ganhar o poder, de ser o Chefe, um novo político não da geração RGA, mas sim da geração “RASCA”. É um bom falante, consegue passar por aquilo que não é, nunca foi, nem vai ser. Engana todos, promete tudo, mas depois de se apanhar no poleiro e com a benesse do Chefe Supremo (também correligionário laranjinha, o mesmo que há uns contos atrás era chefe do rectângulo, na altura da feitura das IP’s, onde falta a tal gravilha, alcatrão etc.), vai mandar às malvas o povo do rectângulo e a troco de um acordo que assinou e até apoiou, com uma senhora de “peso” e nossa aliada oriunda da “seita da CEE” e com a benesse dos rosinhas e de mais um partidozito, vai conseguir por todo o povo “a pão e água”.
Este novo Chefe tem uma história engraçada, deu aulas de matemática, (quando qualquer “gajo” desde que fosse filho de boas famílias e ostentasse o 2º ano do curso complementar, podia fazer), numa vila do Norte do Rectângulo. Depois foi para a faculdade de Matemáticas, da Universidade publica do rectângulo, isto na capital do rectângulo, mas só lá andou, muito pouco tempo, (cerca de 6 mesitos) mas não dava, era muito difícil o Curso. Meteu-se na Politica, nos laranjinhas e logo chegou a Chefe da Seita da Juve Laranja. Depois conseguiu arranjar um “taxo” na casa de todos (aquilo onde estão normalmente umas centenas de gajos, (230), mas que metade fazia o mesmo que fazem estes 230) e aí resolveu tornar a estudar, mas não na Universidade publica do Rectângulo, mas sim na de algum amigo (uma privada). Consegue brilhantemente adquirir um Curso de Economia, já com a brilhante idade de 37 aninhos de idade (um jovem). Já no tempo de chefe dos laranjinhas as más-línguas dizem que andou pelo outro lado da fronteira do rectângulo, numa desintoxicação (não foi alimentar, pois essa normalmente os hospitais do rectângulo curam), mas outra, mas nada se pode confirmar sobre esta faceta curricular, pois não existem documentos que o comprovem, nem convém a tão exemplo de Chefe do rectângulo. Também as más-línguas (os difamadores do Chefe) dizem que também era muito “amigo” da mulher da altura e que há boa moda, do tempo do conto de terror, quando chegava a casa e vinha zangado com os amigos laranjas, resolvia a questão, como os homens do antigamente (pregava uns tabefes na companheira e logo lhe passava a má disposição), mas estas afirmações também não podem ser comprovadas pois não existem documentos que façam parte do curriculum e também os seus amigos correligionários nunca irão acreditar que o Chefe algum dia fosse violento. Ele que nem pulgas mata, prefere elimina-las não lhes dando de comer. Também com a ajuda de um correligionários dos Laranjas, (um tal Ângelo C*****) vai conseguir ter alguns “trabalhos” todos na área de Gestão, de algumas empresas de consultadoria e outras áreas que normalmente os políticos corruptos gostam de criar e que andam sempre ligadas ao submundo da corrupção estatal.
Com este novo Chefe vai continuar a caça ao pouco dinheiro que o rectângulo já tem, mas os políticos e empresários corruptos (banqueiros e chefes de PPP), estes ligados aos laranjinhas, já andam a saltar de contentes, pois ao fim de alguns anos, fora do poleiro, do Poder e do mundo das manobras para as falcatruas de que alias já vão habituando o povo do rectângulo, já podem encher as suas contas bancárias que estão no estrangeiro e também desviar mais alguns cobres para os offshore.
Contrariamente a outros Chefes que desgovernaram o rectângulo, este Chefe não vai ter os mesmos fundos que os antecedentes Chefes tiveram, mas com arte e engenho que é algo a que ele já vem habituado do tempo de meninice, lá vai ele e seus correligionários também conseguir amealhar mais uns cobres.
Para que seja mais fácil levar avante a sua “obra” vai o novo “Chefe” se rodear de vários “cromos” e de uns tantos “nerd’s” , que a troco de também poderem mandar vão seguir sem perguntas fazer as ideias falhadas do Chefe.
O novo Chefe, quando toma o “poder” desde logo começa por agradar aos empresários corruptos que continuam a abundar no rectângulo, normalmente estão filiados nos Laranjinhas e logo resolve fazer um ataque a quem trabalha no rectângulo. Começa por alterar a lei do trabalho, e para isso arranja um “ET” para fazer algo a que os ditos empresários corruptos, há muito reclamam, para assim poderem fazer as suas falcatruas, como fechar as empresas, fugindo sem pagar aos que trabalharam e sempre com a conivência do Chefe, nada lhes acontece e até medalhas recebem.
Depois passa ao ataque do sistema de saúde do rectângulo, para isso tem um “testa de ferro”, é ele que vai dar a cara por esse ataque, é ele que vai fechar hospitais, centros de saúde, etc, sempre invocando que se deve reduzir a despesa do Orçamento do rectângulo, mas acabar com as mordomias dos “amigos do Chefe”, é que nem pensar.
Outro sector que também irá ser alvo de ataque é o Sistema Educativo do rectângulo e para isso o Chefe foi buscar um “Louco Iluminado” que descobre que o rectângulo tem professores a mais e alunos a menos nas turmas, que existem escolas a mais e como tal tem de se fechar algumas, obrigando alguns dos alunos do rectângulo a fazer muitos quilómetros, para poderem ter acesso a algo a que têm direito, conforme reza a lei principal do rectângulo. Também convém fazer escolas gigantescas, para que os amigos empresários que as vão construir possam conseguir dar melhor o “saque”, sem muitas ondas levantar, pois obra grande, também a derrapagem é grande. Convém este ataque ao sistema educativo do rectângulo, pois povo inculto, iletrado, e analfabeto é bem mais fácil de controlar, dominar, enganar e de manipular.
Outro individuo que arranja para as Finanças do rectângulo é um amigo que andava para lá da fronteira do rectângulo, que nada sabe sobre o povo do rectângulo, aquilo a que actualmente se chama “nerd” que através de algumas folhas de cálculo, consegue gamar o pouco dinheiro de quem trabalha. Para isso aumenta IVA, IRS, inventa sobretaxas, etc, mas acaba sempre por perdoar dívidas, arranjar subsídios e até baixar impostos aos amigos empresários corruptos, pois segundo este “nerd” sem esses amigalhaços a economia do rectângulo não avança.
Por último e para que se engane melhor o povo do rectângulo arranja para deitar faladura, para explicar as medidas do Chefe e dos outros atrás referidos, um vigaro. Um verdadeiro Enganador. Também muito bem-falante, muito pomposo, mas que fica “fulo” quando o questionam. É muito parecido com alguns políticos que existiam no tempo do Conto do Terror, por isso foi escolhido pelo Chefe. Também ele é um exemplo de virtudes.
Este vigaro também tem uma história interessante, também andou a guardar cabras, mas depois estudou, já quando andava também na “seita da juve Laranja”, (da qual também foi chefe). Também ele arranja maneira de continuar a estudar já com trintas de idade e também na privada, mas este como até é mais vigaro que o próprio chefe consegue adquirir um curso superior em um só ano (quando normalmente dura três), uma verdadeira inteligência.
Mas mais se vai desenrolar no rectângulo. Novas modas estão para chegar e também novos acontecimentos aguardam o Povo do Rectângulo.

Mais Nada !


terça-feira, 20 de novembro de 2012

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO RECTÂNGULO COM NOVOS PROTAGONISTAS

CAPITULO VIII (continuação)

SOCRATES - O IRREALISTA
 

 Depois de alguém ter tirado o Lopes de ser chefe do rectângulo e para haver alternância entre os partidos do “arco do poder” eis que vai o rectângulo novamente a votos. Emerge vindo do nada um senhor, que vai ser um dos políticos mais corruptos do rectângulo.
Tinha começado a era do Sócrates.
É também da geração das RGA’s, também passou pelas jotas do partido onde pertence e de outro em que andou (Laranjas). Também vem lá dos confins do rectângulo e se calhar também seria guardador de cabras, ou moço de trolha se por acaso não tivesse havido no rectângulo a tal aurora da liberdade.
Conforme já foi dito, a sua iniciação foi laranja, mas depois derivou para o rosa, mas um rosa esbatido de laranja. É um sabidola, sabe bem para o que vem. Rodeia-se de uns politicozinhos da mesma laia que ele, faz a apologia da modernização do rectângulo, mais para poder sacar mais uns subsídios à “seita da CEE”, para ele, os amigos, a família, e mais alguns empresários corruptos os poderem absorver.
É o celebre senhor que recebia peixes de outro senhor, por amizade. E a história era muito simples:
Um amigo desse Sócrates morava junto do mar e arranjava uns peixes saborosos (robalos) e como era muito amigo do Chefe do rectângulo, deslocava-se muitos quilómetros pelo rectângulo dentro para os ir levar, era uma pura e desinteressada amizade entre estes dois cavalheiros.
Mas também havia nesse amizade muitos milhares de quilos de ferro e de outras sucatas metidas na história dos “robalos”.
Claro que muitos anos depois se irá verificar que os “robalos” eram mesmo oferecidos ao chefe do rectângulo por pura e sincera amizade e que nunca se tirou dividendos nenhuns em sucatas ou outras negociatas que os inimigos do Chefe (Sócrates) inventaram, por inveja.
É também na altura da governação desse senhor Sócrates que nasce um empreendimento muito bonito, la para os lados da Capital do rectângulo. Era um local aprazível para uma data de passarinhos fazerem os ninhos, mas com a ajuda de uns políticos e empresários corruptos, alguns vindos do centro do continente onde o rectângulo está inserido, conseguiu-se expulsar os passarinhos e fazer-se o tal empreendimento. Claro que todo o processo de corrupção que foi falado na comunicação social do rectângulo, isto na altura do dito empreendimento, era uma pura e ignóbil mentira inventada pelos comunistas e os inimigos do rectângulo e do Chefe do rectângulo.
Como também mais tarde se vai comprovar também nada se irá passar nem ninguém irá ser responsabilizado por tamanho atentado a conservação da natureza nem se irá averiguar se por acaso as denuncias feitas eram ou não verdadeiras.
Mas o maior negócio da era Sócrates estava a aproximar-se:
Um novo sítio onde aterram aeroplanos e um TGV num rectângulo com cerca de 800 quilómetros de cumprimento, era a grande ambição dele.
Também ele queria ficar na história do rectângulo, possivelmente como o “grande construtor”. Afirmava que estas duas obras eram essenciais ao desenvolvimento do rectângulo, que o povo do rectângulo iria beneficiar, com os “Comboios de Alta Velocidade” (TGV), que já todos os amigos e aliados do continente onde o rectângulo pertence, já tinham este comboio e nós o rectângulo também o tinhamos que ter, se o rectângulo não fizesse o TGV, ainda mais atrasado ficava.
Dava o exemplo de um empresário do Norte do rectângulo se deslocar à capital em muito menos tempo do que sem o TGV.
É também nesta altura que aparece um protagonista que vai ter uma das maiores frases da vida do rectângulo.
“Para lá do Rio, é tudo deserto”.
Claro que esta célebre frase vem no contexto de alguém perguntar ao tal senhor a razão do TGV, não ir até ao fim do rectângulo (aquela zona de praias e muito sol que os nossos amigos e aliados do centro do continente onde está o rectângulo inserido) tanto gostam.
Depois foi o “sítio onde aterram os aeroplanos na Capital”, estava pequeno, já não tinha capacidade para tantos passageiros, tinha o rectângulo de construir um novo e num novo local, fora do centro da capital. O engraçado é que nunca ninguém questionou para que serviria o terreno onde actualmente está o “sítio de aterragem dos aeroplanos”, no centro da capital do rectângulo, caso se construísse o novo. Será que depois de ter acabado com ele “o sítio” se iria fazer mais um negócio chorudo para que a cambada de políticos empresários banqueiros amigos e aliados desinteressados corruptos, todos amealhassem algumas verbas?
Logo se discute o local, logo alguém influente (também foi Chefe supremo do rectângulo) e com informações privilegiadas dadas por amigos da “rosa”, começa a adquirir terrenos num certo local do rectângulo, aquele onde ele pensava que se ia construir. Acaba por o local não ser escolhido, pois alguém provou que não era o melhor lugar para a aterragem dos aeroplanos do rectângulo, o ex Chefe supremo amuou (coisa normal nele quando não lhe fazem as vontades), mas desta vez teve de engolir um valente “Caimão”, com espinhas e tudo. O negócio deu para o “torto” acabou por ficar com um valente “sapal” onde normalmente os passarinhos fazem ninhos. Mas uma coisa se ganhou. Os passarinhos tão cedo não são incomodados, pois o Ex está caquéctico e o herdeiro para lá caminha, logo os passarinhos estão seguros.
Mas a vontade do Sócrates de construir era tanta que logo apareceu um novo lugar para a construção do sítio dos aeroplanos (também alguém acabou por engolir uma “Rã”, pois o local era depois do “celebre Rio”) Coitado do que disse que para lá do “rio era deserto”. É mais uma deixa para a qualidade de políticos e empresários e banqueiros corruptos que abundam no rectângulo.
Felizmente o Sócrates não conseguiu construir nada, pois instalou-se uma verdadeira crise no rectângulo, o Sócrates reconheceu que estava a governar mal o rectângulo.
Um dia Sócrates aparece na comunicação Social e diz que vai pedir ajuda aos nossos amigos da “Seita da CEE” ao BCE e FMI.
Inventa uma nova palavra “O PEC I”. Claro que o PEC, não é nada mais nem menos do que um valente negócio para os amigos políticos, empresários e banqueiros corruptos que por este rectângulo abundam.
O desgoverno era tanto que do PEC I, passou para o PEC II, para o PEC III e assim sucessivamente, tentando fazer do povo do rectângulo (um povo estúpido, bronco e politicamente inculto), o que infelizmente é uma pura verdade.
Pronto, devido à valente crise (coisa a que o rectângulo não esteja habituado), o Socrates é enviado para o “exílio dourado”, vai estudar Filosofia para a cidade Luz, algures numa capital de um polígono qualquer no centro do continente.
Esta geração das RGA’s deixa o rectângulo de rastos, mas eles todos ficam bem, as contas nos "Offshores" e nos bancos estrangeiros com contas secretas, estão recheadas, valeu a pena o terem esperado e o terem expulsado os professores entre 1974 e 1977.
Mas aproxima-se uma nova vaga de políticos, tão corruptos, tão burros e tão ambiciosos como a geração dos RGA’s. Aproxima-se do poder a geração do Politico “RASCA”.
É ela que vai ganhar a “alternância” do “arco do poder”, vai regressar a chefe um dos laranjinhas.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

LIBERTA-TE ! ! !


WAR ! No More...


UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO RECTÂNGULO COM NOVOS PROTAGONISTAS

CAPITULO VIII (continuação)

LOPES - O VALDEVINO
Um dia o Barroso, resolve abandonar o lugar de chefia, vendeu-se à seita da CEE e para lá rumou, deixou o rectângulo, mergulhado em mais uma crise, mas logo um “companheiro” do partido (os laranjas) do Barroso (o cherne), diz que é ele que tem de ser o Chefe do rectângulo. Depois de muita discussão o Chefe Supremo (um tal Sampaio) resolve dar o lugar de Chefe ao tal Lopes, ninguém foi consultado (o povo), não, pura e simples o Lopes ocupa a cadeira (mais parecia o tempo do conto do terror). Passado muito pouco tempo do Lopes ter “alapado” o traseiro na “cadeira” logo se repara, que se o rectângulo estava a ser mal governado e tinha corrupção com o “Cherne”, com o Lopes era bem pior.
Como não podia deixar de ser o Lopes, chamou para junto de si um tal Portas, o chefe de um dos “maiores partidos” do rectângulo e logo o tal Portas é confrontado com o nome do Ministério que este rectângulo já teve, até o portas ficou abismado, espantado, deslumbrado com o nome mais pomposo e comprido que alguma vez o rectângulo tinha dado a um chefe.
Tinha começado a bagunça da era Lopes.
Ninguém se entendia, o rectângulo andava sem rumo nenhum, o Lopes só queria festas e copos e o Portas idem, mais visitas a Quartéis da tropa, até meio fardado andava, tamanho o orgulho que o Portas tinha no nome pomposo do seu Ministério.
Como politico saído da era das RGA’s o Lopes tentou também arranjar um novo negócio, isto para não ficar mal com o resto dos políticos e corruptos, que o rodeavam e que ele queria ajudar a angariar mais uns “cobres”
Um dia o Lopes anuncia que vai propor que o rectângulo organize um evento Mundial de grande envergadura, dizia que o rectângulo tinha capacidade para organizar os Jogos Olímpicos, isto na Capital do rectângulo. Afirmava, que só assim o rectângulo podia evoluir, podia sair da crise, que era um investimento rentável, e que o povo do rectângulo iria beneficiar com esse evento. Claro que já havia uns tantos políticos e empresários corruptos a esfregar as mãos de contentes para poderem amarfanhar mais uma data de milhões para as suas contas no estrangeiro.
Felizmente o Lopes, acabou por não poder propor essa “grande asneirada” que o povo do rectângulo, mais tarde iria pagar, pois as “borradas” eram tantas que o Chefe supremo (o tal Sampaio), tirou-o de Chefe.
Acabou o Chefe supremo o tal Sampaio de ter de engolir um “crocodilo” e demitir o tal Lopes e lá voltava o rectângulo a ser chamado a “votar” para escolher mais governantes da tal geração das RGA’s.
Neste período de tempo, o rectângulo continuou a receber muito “dinheirinho” vindo do grupo da “seita da CEE”, mas o mesmo esfumava-se, desaparecia e o rectângulo continuava atrasado em todos os sectores da economia, cerca de 60 anos em relação ao grupo da “seita” que dizia que tinha orgulho de pertencer.
Estava quase mo seu fim o “acordo” que se tinha feito com a “seita da CEE”, que era a destruição do sector Primário e Secundário do rectângulo, fica só o rectângulo com os serviços, algo que interessava aos novos amigos/aliados do centro do continente onde o rectângulo está inserido.
Estava quase montada a armadilha de começar o povo do rectângulo a penar, a passar fome, a ver o desemprego a aumentar, etc. Claro que os políticos e empresários corruptos, tinham cumprido a sua missão, iriam ser recompensados pelos amigos.
O Povo do rectângulo adormecido, não reparava que havia uns indivíduos que cada vez queriam mais mordomias, mais dinheiro, mais riqueza, esse povo continuava mais entretido com Reality Shows, Futebol, etc.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO RECTANGULO COM NOVOS PROTAGONISTAS

CAPITULO VIII (continuação)

BARROSO – O CHERNE

Torna a haver a dita alternância no “poder”, depois de mais uma crise, eis que sai das eleições um líder que ira ser conhecido pelo “Cherne”.
Iria começar a era dos políticos que viveram as RGA’s, eles aguardavam a tomada do poder com alguma impaciência. Como sempre na vida, o rectângulo, agora via desapontar uma nova raça de políticos, mais novos, pensava que mais formados, menos corruptos, mais virados para que o rectângulo fosse melhor governado. Muitas esperanças o rectângulo depositou nesses novos políticos e muitas desilusões vai tirar deles.
Acabam de subir ao poder do rectângulo os tais que andaram a fazer as RGA’s, os tais que andavam no liceu na altura do PREC, os que expulsaram os professores de matemática e outros das disciplinas de ciências (por natureza as mais difíceis...).
Claro que o povo do rectângulo, por andar adormecido não sabia nada destes novos políticos, algum do povo do rectângulo, nem imaginava o que se tinha passado nos liceus do rectângulo, durante cerca de 3 anos (altura em que durou o PREC, entre o ano de 1974 a 1976).
Nessa altura não havia exames, só passagens administrativas, muita política nos liceus, muitas RGA’s, muitos confrontos, entre estudantes (entre os da ala direita contra os da ala esquerda), muitas bombas a rebentar, muitos assaltos a sedes de partidos principalmente da ala esquerda (PCP, MDP-CDE, UDP, etc). Por incrível que pareça, muitas poucas sedes do PS ou do PSD eram assaltadas, talvez por se pensar que um dia seriam esses a governar o rectângulo, ou então...
São dessa geração o Mendes (1957), o Barroso (1956), o Vitorino (1957), o Sócrates (1957), o Lopes (1956), o Aguiar Branco (1957), o Lima (1955), o Mexia (1957), o Augusto Silva (1957), isto só para citar alguns de muitos, que souberam e continuam a saber “viver” com a situação do rectângulo, ou seja “os tais chicos espertos” que normalmente aparecem vindos do nada, mas que sabem bem para o que vêm e o que devem fazer para ficar muito bem, isto à custo do Povo do rectângulo.
A grande maioria do povo nunca soube, que dessa geração, alguns passaram por alguns partidos, que agora eles condenam e até lhe chamam anti-democráticos. Deixo aqui alguns exemplos de alguns políticos dessa altura que passaram por inúmeros partidos dito de Esquerda ou estrema esquerda, e que depois vão mudar de partido (principalmente para PS, PSD e CDS) para poderem depois “tomar o poder” do rectãngulo.
De todos os que mais na vista dão (isto consultando umas publicações muito em voga) são os seguintes:
- Mexia o "Camaleão" – Começou a sua actividade partidária ainda jovem no liceu, como Trotskista, como militante da União Operária Revolucionária. Apoiou um tal Otelo, para o cargo de chefe do rectângulo, um dos que fizeram a “aurora da liberdade”. Em 1980 apoiou um tal Eanes, para chefe do rectângulo. Mais tarde vai ser o chefe de uma empresa estratégica do rectângulo, mas que acabará por ser vendida a um país asiático.
- Barroso o "Cherne" – Outro, que começa a sua militância partidária, como militante da extrema-esquerda (MRPP), mas depois muda de “camisa” de “vermelho” passa a “laranja”, pois começa a ver que sendo “vermelho” não sai da cepa torta, mas se mudar para “laranja” pode chegar longe. Consegue subir, nos laranjinhas, e consegue iludir o povo do rectângulo a escolhe-lo a ele para chefe, mas, depois “foge” para onde lhe vão pagar mais a “seita de amigos da CEE”. Actualmente é o chefe da “seita” mas apesar de ser do rectângulo, não o defende, antes pelo contrário o afunda e até parece que gosta que o rectângulo onde nasceu, esteja no buraco que está.
- Sócrates o "Enganador" – Também um verdadeiro ilusionista da política, começa laranja, muda-se para “rosa”, bajula, mina, chega a chefe dos “rosas”, arranja uma licenciatura “através do JUÁ”, chega a chefe do rectângulo, arranja um grupo de amigos a quem dá tacho na governação do rectângulo, consegue o inédito “que é um amigo se deslocar da sua terra, para a terra dele, para lhe levar peixes”, consegue pôr a família a ganhar dinheiro através de uma obra que dizia estratégica para o rectângulo, montada num local onde os passarinhos tinham recebido como herança, para lá poderem fazer ninhos, consegue levar o rectângulo quase à ruína, e vai para um país “amigo” começar um curso que na verdade não sabe que saída tem, mas que recebe uma bolsa de estudo dada pelo rectângulo. Consegue assinar projectos de arquitectura para um órgão do rectângulo e nem sócio ou aderente a esse grupo pertence, pois não lhe reconhecem o título que diz ter.
- Lopes – o "Bom Vivant" – Sempre a militar nos laranjinhas, ainda é dos que chama o nome do partido onde pertence, como ele foi fundado, vive sempre com a saudade do líder fundador que lhe deu a mão, o tal que ia no aeroplano, ele tentou ser o chefe do partido em várias reuniões da comandita e nunca lá chegou. Vai acabar por ser o chefe do rectângulo, mas porque o Cherne se pirou para a seita da CEE, abandonando o rectângulo. Pouco tempo estará no poleiro e o pouco que lá esteve, o rectângulo passou um muito mau bocado, acabou por ser destituído pelo chefe supremo que na altura era um tal Sampaio. Ainda tentou convencer os correligionários de que conseguia ganhar eleições, mas levou uma grande “pancada eleitoral” e acabou por ser expulso do lugar de chefe que tinha ocupado, por “usurpar” o poder, do que por ter sido eleito pelos seus correligionários.
- Vitorino – o "Submarinista" - Entrou para o poleiro e logo tentou demonstrar que era “INCORRUPTO”, nada se lhe tinha a apontar. Foi chefe da Defesa do rectângulo, muito prometeu, mas nada fez, tem uma “cena porreira” – um dia foi visitar um dos submarinos (já obsoletos que o rectângulo tinha), e devido à sua elevada estatura, mais parecia um PINGUIM a descer do Icebergue. Foi uma cena caricata. Acaba por ser enviado embora da governação por não ter pago os impostos ao rectângulo por um “monte” comprado num local do rectângulo. Acabou por reconhecer que o tinha feito, pediu desculpas e o povo mais esclarecido do rectângulo ficou a saber que afinal de incorrupto só tinha o nome.
- Lima – o "Corrupto" – Também outro que veio dos confins do rectângulo, outro que se não fossem os “vizinhos”, hoje era “guardador de cabras”, mas...
Claro veio para a capital do rectângulo, também se licenciou numa dita Universidade que a troco de umas propinas chorudas, passa um diploma em que este tipo de pessoas “faz prova” de que é “doutor”. (o Povo do rectângulo só gostava de saber porque motivo estes corruptos só tiram cursos superiores em Universidades privadas e quando estão sentados na “sua casa”. Será por terem muito tempo livre e por isso vão estudar? ou, será que por estarem na tal “sua casa” tiram benesses da posição que ocupam e por isso acabam sempre por passar no curso? É um dos tais mistérios insondáveis que o rectângulo nunca irá descobrir) Esse senhor era dos que mais faladura deitava no local onde todos o políticos deste rectângulo têm a mania de lhe chamar “a sua casa”. Foi durante alguns anos o “Chefe” dos laranjas, nessa casa. Reza a história de que um dia comprou uma propriedade lá para os lados da capital do rectângulo, que já tinha um muro, mas devido a ele se sentir “muito à vontade” por muitas maldades que andava a fazer ao Povo do rectângulo, resolveu mandar fazer um novo muro à volta da sua nova propriedade. Havia quem dizia que para se sentir mais seguro, ele iria encher de água o espaço entre os dois muros e depois adquirir uns crocodilos, animal normalmente sempre faminto, e que só assim se sentiria seguro. Acabou por não se sentir nunca seguro, pois acabou por ter algo que nem crocodilos lhe salvariam a pele. Fez uma travessia de deserto político, passou por grande benemérito de uma Instituição que o ajudou a salvar a pele, mas um corrupto não descansa e logo arranjou mais uma “cena”. Vai acabar por estar preso, primeiro na Cadeia do Políticos (isto de ser político e ir para a cadeia do membros do povo do rectângulo, não pode ser, logo vai para uma cadeia diferente), mais tarde vão mandar o senhor para casa com uma pulseira, muito bonita, que consegue saber por onde anda, isto no caso de alguém não lhe ter dado a chave para abrir a pulseira, o que neste rectângulo não era de estranhar.
Depois de tomar posse do lugar, o “Cherne” logo arranjou mais um negócio fabuloso para ele e os amigos empresários e políticos corruptos que abundavam e abundam no rectângulo.
O rectângulo iria organizar um torneio de futebol do continente onde o rectângulo pertence. Começou a festa do esbanjamento do dinheiro associado a desvios do mesmo para os ditos políticos e empresários corruptos que abundam no rectângulo e que são “amigos” do “Cherne e restantes membros da desgovernação”. Começa logo com a publicidade que se tinha de fazer, as viagens ao estrangeiro, para promover o evento, mas como sempre os políticos e empresários corruptos estavam presentes para angariar o dinheirinho que tanta falta lhe faz, mas que depois o povo do rectângulo é que vai pagar. Dizia essa raça que estes eventos tornavam o rectângulo mais conhecido, mais evoluído, mas nunca disseram quanto iria custar a brincadeira, não interessava a eles nem interessava ao povo do rectângulo, pois iria ter disponível o que mais gostava, depois alguém pagaria a despesa
Construíram-se estádios de futebol que passados uns anos o Povo do rectângulo lhes chamará “Monos”, que só serviram para fazer dois ou três jogos de futebol do tal torneio, e que depois foram entregues às autarquias da zona onde estão inseridas, com custos exorbitantes e que prejudicam mais o Povo do rectângulo do que aos políticos e empresários corruptos que nos “obrigaram” a fazer estes eventos aos quais o Povo nenhum dividendo tirou. Também nunca ninguém averiguou o quanto gastou efectivamente com a realização do tal torneio, nem nunca se averiguou o porquê de se construir estádios de futebol de raiz em cidades onde mais tarde alguns clubes de futebol vão acabar por ficar a jogar nesses estádios (passados uns anos vão recusar-se a faze-lo) e nem dinheiro têm para o aluguer desses estádios. Quase todos os estádios construídos nas cidades mais pequenas passaram a estádios municipais, ficando o rectângulo com ma vasta “rede” de estádios municipais, isto sem ninguém saber para que servem e quanto custa a sua manutenção. O mais caricato de todos (os estádios) é um construído numa zona de muito sol e muita praia. Na verdade esse, de prática de futebol nesse estádio nem vê-la, mas corridas de carros e também uma prova de bicicletas, é a utilização normal para ele.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

António Aleixo


Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado:
mandarem fazer assim
e eles fazerem assado.

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Não me deem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!

Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.


António Aleixo
 

 

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO RECTÂNGULO JÁ COM NOVOS PROTAGONISTAS

CAPITULO VIII
“Uns novos políticos corruptos aparecem
No rectângulo junto do mar plantado
O assalto ao poder já está montado
O Povo adormecido deixa que eles o ocupem” 
 

 GUTERRES – O CONHÓ...

Como rectângulo que se preze e democrático que tanta publicidade faz, chega a altura da alternância, acaba o ciclo do Aníbal, para começar o ciclo do Guterres.
Lá voltam algumas caras conhecidas do partido dele (Guterres) a aparecer para governar o Povo do rectângulo, para que os políticos e empresários corruptos continuem a desfalcar o rectângulo.
É com este novo desgoverno que se vai continuar a obra inventada pelo Aníbal, a continuação da destruição dos sectores produtivos do rectângulo a troco de subsídios vindos da “Seita da CEE”. De salientar que estes ditos subsídios mais beneficiaram os políticos, empresários e chicos espertos do rectângulo do que o seu Povo. Como mais tarde se vai verificar serão estes subsídios vindos essencialmente do centro do continente que nos irão levar à banca rota, pois começamos a ser habituados a viver do que não tínhamos, nem produzíamos e como tal mais tarde o rectângulo ira pagar como se vai verificar.
Continuava o rectângulo a “dar” dinheiro para se abater a frota pesqueira, abdicava-se de explorar minas e agricultura, resumindo, ANIQUILAVA-SE o sector primário da economia. Não era necessário que ele existisse pois tudo vinha da “seita da CEE” eles “punham tudo aqui e muito mais barato” o Povo do rectângulo iria viver feliz.
Também se continuou a “dar” dinheiro para a modernização da Industria, o dito sector secundário ou da transformação, mas por incrível que pareça, essa modernização tardava a aparecer, continuava o rectângulo a nada produzir (excepto sapatos, rolhas, confecções e conservas), mas em fábricas obsoletas, com máquinas que só países subdesenvolvidos é que as tinham, maquinas essas que não aguentavam a produção que os empresários corruptos queriam que os trabalhadores do rectângulo fizessem. Esses empresários que receberam dinheiro para modernizar as suas fabricas, não o aplicaram na fábrica, mas sim a adquirir um valente carro, uma valente moradia, o ir jantar a restaurantes VIPs, o sustentar amantes de luxo, o passar ferias no estrangeiro e depois toca a culpar o trabalhador por a fabrica não produzir o suficiente. E o desgoverno e a sua “central sindical”-UGT a nada fazer para proteger quem culpa nenhuma tinha, nem a controlar nada. Quando esses empresários corruptos com a ajuda de políticos corruptos já não conseguiam arrecadar mais Subsídios para a modernização da empresa, que eram utilizados em tudo menos na empresa, pura e simplesmente fechava a empresa e pronto. Ninguém controlava onde esses senhores gastaram o dinheiro. Por via de dúvidas os políticos e empresários corruptos dessa altura fizeram uma nova invenção. “AS FABRICAS FECHAVAM PORQUE HAVIA A CONCORRÊNCIA DOS PAISES ASIATICOS QUE PUNHAM CÁ OS PRODUTOS MUITO MAIS BARATOS, POIS OS CUSTOS DA PRODUÇÃO NO RECTÂNGULO ERAM MUITO ALTOS, OS SALARIOS ERAM MUITO ALTOS E DEVIDO A ESSE FENÓMENO AS FÁBRICAS NÂO AGUENTAVAM E TINHAM DE FECHAR”.
E foi essa a justificação dada na altura pelo detentores da governação, mas verificar onde se esbanjou o dito dinheiro da modernização é que nada.
Mas havia um sector que prosperava, o Terciário ou serviços, aí não havia crise, muitas companhias de seguros, muitos bancos, muitas estações de televisão, muitas entradas para trabalhar no Estado (jobs for the boys). Esse sector da economia respirava saúde e o desgoverno aplaudia, iria o rectângulo ser desenvolvido, já o rectângulo se podia orgulhar que tinha apanhado o pelotão da frente da “seita da CEE”, isto no sector Terciário da economia, pois nos outros dois era ao nível dos países do terceiro Mundo, mas isso não era grave.
O Povo esse devido à sua falta de cultura Política á muita informação enganosa que lhe era metida “na cabeça” acreditava que um rectângulo pode viver só com um sector evoluído sendo esse um sector não produtivo, mas passados uns anos vai reparar que se calhar enganou-se em ter acreditado nos Políticos do “arco do poder”.
Foi também nessa altura que os Políticos e empresários corruptos, tiveram a benesse de ainda mais enriquecerem. Resolveram propor o rectângulo a organizar uma Expo Universal. Maravilha, como eles se iriam encher com muito dinheiro que faria falta à modernização da Agricultura, das Pescas, da Industria, etc, mas que todos vão andar a desviar para os seus bolsos e para se organizar algo que na verdade, não era essencial ao rectãngulo.
Constroi-se uma verdadeira cidade, com edifícios que só serviriam para o evento, com pavilhões construídos de raiz, mas que depois da tal exposição ficariam devolutos, mas não haverá problema.
Um dia mais tarde um familiar de um tal Aníbal, irá comprar um dos Pavilhões emblemáticos dessa exposição, mas ninguém saberá donde virá tanto dinheiro para adquirir tamanho edifício, talvez do senhor que na altura é o chefe supremo do rectângulo.
Fizeram-se outros negócios espantosos, nessa dita exposição, como o ter encostados a um cais de uma doca “três navios de cruzeiro” cerca de 3 meses, pagos a peso de ouro, a uma empresa de navegação, para se poder alugar os camarotes desses navios, tendo para isso se criado um empresa, como se a capital do rectângulo não tivesse hotéis, pensões e outras infra-estruturas hoteleiras para acolher tantos visitantes que nos iriam visitar. Depois se chegou à conclusão de que os tais “cruzeiros”, não eram nem foram necessários mas como já estavam contratados, paciência. Nunca se apurou a razão de alguém ter subvalorizado o número de visitas previstas para a célebre exposição. Só passados muitos anos e depois de alguma celeuma nos partidos do “arco do poder” é que o rectângulo acabará por extinguir a tal empresa que foi criada propositadamente para organizar a tal exposição. Como saldo final deste brilhante negócio vai ficar um prejuízo de alguns milhões, coisa pouca para um rectângulo muito bem financeiramente, algo que pagará mais tarde recorrendo a mais um empréstimo se tal for necessário, o que na verdade irá acontecer.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Greve Geral

Pelo direito ao trabalho com dignidade
Contra a exploração e o empobrecimento
"A Luta Continua, nas empresas e na rua"

PROLETÁRIOS DE TODA A EUROPA, UNI-VOS !

As Marionetes da Merkel


UM VERDADEIRO CONTO

OS CONTOS DOS BURACOS

“A RAZÃO DO RECTÂNGULO GASTAR MAIS DO QUE ARRECADA. A JUSTIFICAÇÃO DA TRETA, O NÃO QUERER MEXER NAS MORDOMIAS DOS QUE ESTÃO A EXERCER O PODER NO RECTÂNGULO”

ANEXO II

“O Povo o rectângulo fica endividado
Por dinheiro pedido e que nunca irá conseguir pagar
Mas o político e empresário corrupto fica calado
Acreditando o Povo que isto um dia irá acabar”
...

Estava o rectângulo no ano de 1977, quando um ilustre senhor, era ele o PM do rectângulo nessa altura e pertencente a um dos partidos do “arco do poder”, é tal que tinha andado a fazer oposição “dourada”, lá para os lados de Paris, no tempo do conto de terror, quando vem para os meios audiovisuais, fazer uma declaração ao rectângulo.
Afirmava ele que devido a “um buraco orçamental”, o rectângulo, precisava de pedir um empréstimo e que o não fizesse, não haveria dinheiro para pagar as reformas, não haveria dinheiro para a saúde, para a educação e ainda mais grave, não haveria dinheiro para pagar aos trabalhadores do rectângulo, que haveria uma recessão muito grande.
Independentemente da opinião do Povo do rectângulo, esse senhor pediu o empréstimo, claro que o mesmo tinha de ser ao “banco” do novo aliado.
Esse banco não é nada mais nem menos que FMI. Lá nos arranjaram o dinheirinho que tanta falta fazia ao rectângulo, lá vieram os técnicos estrangeiros, que nada sabem da vida dos moradores do rectângulo, nem do que por cá se passa, também nada sabem nem querem saber da corrupção empresarial e política, que no rectângulo existe. O que interessa é combinar como se vai pagar o empréstimo, e como deve ser implementada a política económica do rectângulo, não sendo na sua perspectiva uma ingerência nos assuntos internos do rectângulo. Para eles (os técnicos do FMI), não é perda de soberania do rectângulo, o vir dizer que “corta aqui”, “corta ali”, “despede acolá”, na opinião desses técnicos e dos políticos corruptos que assinam estes empréstimos isto é uma ajuda, pois só com a receita deles é que o rectângulo pode sobreviver.
Logo depois da reunião com os ditos técnicos, vem o “ilustre senhor”, outra vez aos meios audiovisuais e comunica o seguinte ao povo do rectângulo.
“precisamos de poupar e precisamos de arrecadar mais impostos, para podermos pagar o mais rapidamente possível o empréstimo que solicitamos aos nossos amigos do FMI”
Para isso, os trabalhadores do rectângulo, (funcionários públicos), não vão ser aumentados para ajudar a pagar este empréstimo, também temos que deixar de dar tantas verbas para a educação e saúde, também temos de começar a descontar mais para a segurança Social e para o Estado (imposto profissional), temos de aliviar a carga fiscal aos empresários e bancos para que eles possam financiar a economia do rectângulo, para que se possa criar empregos e riqueza.
Apesar desta “incrível” receita o rectângulo entrou em recessão.
E foi assim o primeiro empréstimo do rectângulo depois da aurora da liberdade. Por incrível que pareça o povo do rectângulo, nunca exigiu saber o motivo do “celebre buraco orçamental”, nem os governantes do rectângulo, da altura (os Soares, os Santos, os Alegres, os Tavares e outros mais), tiveram os préstimos de vir explicar o motivo da existência do “buraco”.
Passados alguns anos (1983) e também estavam no poder, os mesmos do primeiro empréstimo em coligação com outros iminentes políticos do “arco do poder” (era o mesmo senhor do primeiro empréstimo ao FMI mas nessa altura era o chefe do governo de algo que foi apelidado de Bloco Central, que era uma mistura de PS+PSD+CDS), quando o rectângulo tomou conhecimento de que precisaria novamente de mais um empréstimo.
Claro que quem iria emprestar outra vez eram os mesmos (os tais do FMI), desta vez o argumento para pedir o empréstimo foi o mesmo, gastávamos muito, arrecadávamos pouco, continuávamos a ter o problema do “buraco” mas o tal que nos governava também nunca explicou porque razão andava o rectângulo a gastar mais do que devia. Afinal onde estava a sair a despesa? Claro que os (Soares, os Almeida Santos, Vitorinos, os Loureiros, os Amaral e outros), nunca explicaram nada. A receita dos “amigos” do FMI foi a mesma do empréstimo anterior, corta na saúde, corta na educação, aumenta impostos sobre os que trabalham e alivia a carga de impostos sobre os detentores dos meios de produção e banca, para que eles possam criar empregos, mas apesar desta receita o rectângulo tornou a entrar em recessão, mas houve uma nova invenção, que pelos vistos pegou moda “Toca a cortar parte do Subsidio de Natal ao pessoal da Função Pública”
De salientar que este empréstimo foi pedido aos “amigos do FMI”, na altura em que mais verbas dos fundos de coesão da CEE entravam no rectângulo.
Agora passados mais uns anos, (2010) outra vez com os mesmo do “do arco do poder”, voltamos a pedir mais um empréstimo, a justificação é a mesma das anteriores, muita despesa, pouca receita, continuando o povo do rectângulo sem saber de onde se gasta tanto. Este novo empréstimo também tem uma pequena diferença, já não é só o “nosso amigo FMI” a emprestar a “massa”, também entra neste negócio, mais dois “amigos” o BCE (que está ser gerido por aqueles que tentaram conquistar o continente onde o rectângulo pertence) e também pela CEE (aquilo onde o tal Soares nos meteu, há uns anos atrás, afirmando que só teríamos a ganhar por entrar para este “grupo”.
Outro fenómeno deste empréstimo é que agora aos nossos controladores (os tais técnicos que nada sabem do rectângulo, nem querem saber da corrupção instalada no rectângulo), lhe chamam “TROIKA”. (se a malta se engana, ainda alguém lhe chama TROIA, com a cena do cavalo de madeira que Esparta criou e que originou a queda da cidade).
A receita para pagar mais este empréstimo é a mesma das outras vezes, mas esta ainda mais dura, pois afinal o povo do rectângulo vive bem de mais (paga como os do grupo, mas ganha bem menos que os outros do grupo), mas segundo os célebres técnicos que nos vêm analisar, vivemos muito bem e ganhamos muito e é por isso que o rectângulo tem este problema.
A receita para que o rectângulo consiga resolver este problema de gastar cada vez mais do que arrecada segundo a celebre Troika é:
“Temos de tirar os subsídios aos trabalhadores, temos de aumentar os impostos aos trabalhadores, temos de reduzir as verbas aos ministérios da saúde, da educação, temos de acabar com os subsídios todos (excepto os que são pagos aos que nada fizeram a favor do rectângulo e que são válidos para o trabalho, chamando-lhe rendimento mínimo, para que eles possam estar a tomar o pequeno almoço num café, ou então acabar com as PPP ou Fundações, Observatórios ou Institutos).
Temos de aliviar a carga fiscal dos detentores dos meios de produção, temos que aliviar a carga fiscal do sistema bancário, temos de lhe perdoar todas as dividas e falcatruas, a corrupção que eles fizeram, pois senão a economia não arranca.
Além disso temos de contratar Técnicos e Especialistas, para os órgãos do rectângulo, que devem ser muito bem pagos, pois senão não conseguem cumprir a tarefa e o rectângulo não arranca na sua economia por causa deles estarem mal pagos.
Também temos de aumentar o orçamento da casa do chefe do rectângulo, da casa dos que governam o rectângulo, de aumentar o orçamento do Parlamento do rectângulo (pois vai haver eleições em 2013).
Claro que os políticos e empresários corruptos do “arco do poder” ainda não explicaram ao povo do rectângulo o motivo deste empréstimo, e quando o tentam, ou utilizam uma linguagem técnica (normalmente utilizada por um novo fenómeno existente no rectângulo que são os “NERD”, no meu tempo de estudante a malta chamava-lhes “TOTÓS”), ou então inventam cenários tão graves que o povo do rectângulo julga que os políticos do tal “arco do poder”, vivem noutro planeta que não a Terra, ou então começam a pôr em duvida se vivem no mesmo rectângulo
(obs: Normalmente um NERD é um tipo de pessoa, que vive numa redoma de vidro, com muitos computadores todos abertos no EXCEL com muitas folhas de cálculo carregadas de formulas, onde ele faz os cálculos mais absurdos e que apesar de saber que estão errados, os põe em prática, arranjando sempre uma justificação de que são os correctos. Normalmente não tem amigos, nem gosta de gajas, nem é muito dado a socializar com as pessoas ditas normais, às quais tem um profundo mal estar por as ter de aturar, desejando que essa mesma raça seja extinta. Fala muito pausadamente e apresenta sempre muitos gráficos, não para ilucidar, mas sim para complicar e com o intuito de que os que os tentam analisar fiquem de tal maneira confusos que desistam de os ler. São normalmente seres frustados, com graves crises existenciais. Nunca gostaram ou gostam de coisas banais, mas admiram e gostam tudo que é opulento. Adoram bajular para nunca perderem o poder, que sabem que pode ser efémero, mas que tentam perpetuar a todo o custo, são também os verdadeiros Lambe Botas.).
Pronto lá chegou o empréstimo e apesar das “receitas para combater a crise” o rectângulo entrou e continua em recessão, mais parece que toda a economia e vida do Povo do rectângulo recuou cerca de 50 anos. Vive o povo do rectângulo como vivia no tempo do conto do Terror, os alunos da escola com fome, os alunos com frio nas aulas, a falta de material escolar, os professores desmotivados, os hospitais com edifícios do século XXI mas com falta de dinheiro para comprar medicamentos do mesmo século (qualquer dia vamos assistir a médicos a ler livros da avózinha, para ver que tipo de mezinha podem aplicar ao doente), a economia arruinada, mas os políticos e empresários corruptos a desfrutarem de boa vida, de terem férias onde se gastam montes de dinheiro, onde se continuam com os privilégios desses políticos e empresários corruptos, como viagens aos países Estrangeiros onde o Povo do rectângulo não tira, nem algum dia vai tirar, dividendos dessas viagens “ditas de negócios”, mas que eles tiram pois sempre os ficam a conhecer.
E mais há-de estar para chegar, pois parece que estes políticos e empresários corruptos e apoiantes do “arco do poder”, só descansam quando o Povo do rectângulo tiver a vida que tinha na altura do feudalismo.
Que mais irá acontecer ao Povo do rectângulo?

Make LOVE, Not WAR !!!


Vivemos num Mundo onde nos escondemos para fazer Amor! enquanto a violência é praticada em plena luz do dia.

John Lennon

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Retrato do Povo de Lisboa

É da torre mais alta do meu pranto
que eu canto este meu sangue este meu povo.
Dessa torre maior em que apenas sou grande
por me cantar de novo.

...
Cantar como quem despe a ganga da tristeza
e põe a nu a espádua da saudade
chama que nasce e cresce e morre acesa
em plena liberdade.

É da voz do meu povo uma criança
seminua nas docas de Lisboa
que eu ganho a minha voz
caldo verde sem esperança
laranja de humildade
amarga lança
até que a voz me doa.

Mas nunca se dói só quem a cantar magoa
dói-me o Tejo vazio dói-me a miséria
apunhalada na garganta.
Dói-me o sangue vencido a nódoa negra
punhada no meu canto.

Ary dos Santos
 

Brincar á "caridadezinha"


UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO VIGÁRIO OU O CONTO DA MENTIRA DA FARTURA

CAPITULO VIII


“Era uma vez um povo de um rectângulo
Que nunca tinha visto chegar tanto dinheirinho
Nunca lhe chegou a pôr a mão
Mas vai paga-lo de fininho”
 


Continuava o povo do rectângulo adormecido os políticos e empresários corruptos, esfregavam as mãos de contentes, pois tinham encontrado mais um valente negócio, onde poderiam arrecadar muito dinheiro. Era o entrar numa comunidade, (a seita da Comunidade) onde quase todos os países eram bem mais evoluídos e menos corruptos que o rectângulo.
Foi feito o negócio, toca a fazer uma festa para comemorar a assinatura do casamento de um rectângulo atrasado cerca de 60 anos em relação a todos os novos parceiros.
Claro que os novos parceiros viram a entrada do rectângulo como uma verdadeira benesse, ganhavam um novo mercado, só tinham de convencer os políticos e empresários corruptos a desfazer-se dos barcos, da indústria, da agricultura, do rectângulo. Tudo viria a preços muito mais em conta para o rectângulo, mas o rectângulo teria de deixar fazer as estradas, que a “seita da Comunidade” precisava para ter a grande porta de saída para o mar (os nossos portos de mar), mas com o dinheiro que a seita nos emprestaria e que mais tarde teria o rectângulo de pagar.
Claro que todos estes negócios ao povo do rectângulo, foi escondido, não foi divulgado, nem valia a pena, o que interessava era o negócio para que os partidos do “arco do poder” e os seus dirigentes corruptos pudessem fazer fortuna, quanto ao povo do rectângulo depois se veria.
Pronto já cá canta o negócio, agora toca a convencer o Povo do rectângulo que a “seita da Comunidade” é que é boa. Os aliados e os que fizeram as duas guerras, agora são nossos amigos, vão ajudar o povo do rectângulo a ter uma vida melhor. Assinam um contrato, onde os políticos e empresários corruptos do rectângulo, é que vão beneficiar. Claro que os grandes mentores deste fabuloso negócio (mas para eles), são os Soares, os Almeidas Santos, os Vitorinos, o Aníbal, os Lopes, os Loureiros e muitos mais políticos corruptos que foram emergindo dos buracos onde estiveram escondidos (eles e os pais).
Logo começam a chegar os milhões, logo se começam a construir as estradas que a “seita” precisa, logo os políticos e empresários corruptos se movimentam a organizar e a incentivar a criação de empresas de construção civil, onde mais tarde vão garantir empregos.
Abrem-se novas vias de comunicação uma a Norte, desde uma das entradas no Norte do rectângulo até junto de um dos maiores portos de pesca e de mar do rectângulo. A IP4.
Abre-se outra no centro do rectângulo desde a entrada, até um outro grande porto de pesca. A IP5
E abre-se uma nova desde uma entrada no rectângulo isto mais a sul até um dos maiores portos do rectângulo e onde existia varias estruturas muito importantes (refinaria).
Era a altura de um senhor que governava no rectângulo (o Aníbal) e um outro senhor que era muito amigo (um tal Loureiro), e deixa construir como eles querem, o que interessa não é que a obra fique bem-feita, que não seja perigosa, o que interessa é como podemos facturar para os nossos bolsos.
Todas estas IP’s têm centenas de quilómetros de extensão, todas elas eram para ter duas fachas de rodagem para cada lado, mas constrói-se só com 3, poupando-se cerca de um metro em todos os materiais (terreno, gravilha, alcatrão) etc, mas quando formos apresentar as contas aos novos amigos da “seita da comunidade”, apresentam-se como se a nova estrada estivesse com as quatro fachas. E foi assim que empresários e políticos corruptos da altura enriqueceram.
Outro negócio fabuloso que na altura também estava em voga, eram as verbas destinadas à modernização e despoluição de um vale do rectângulo, foi um ver que te havias na questão do desaparecimento dos dinheirinhos que vinham para modernizar as fabricas desse vale e para despoluir um dos rios que por ele passa. Ainda hoje nesse vale estão os esqueletos das fábricas, o rio continua como na altura, mas algo mudou no vale do rectângulo, hoje por lá andam muitos carros topo de gama (ferraris, porches, lamborginis, etc) e também por lá estão algumas das melhores casas da zona norte do rectângulo, tudo adquirido pelo grande esforço de um grupo de empresários, que com a conivência dos políticos corruptos da altura, conseguiram subtrair os dinheirinhos que mais tarde o rectângulo terá de pagar aos amigos da “seita da comunidade”.
Apesar de tudo isto o povo do rectângulo continuava adormecido, embebido no futebol, nas quezílias dos dirigentes desportivos e noutras “diversões” de que políticos e empresários corruptos são mestres em desviar a atenção do povo do rectângulo.
Mas mais e muito mais estaria destinado ao povo do rectângulo.

domingo, 11 de novembro de 2012

Para Alemães e não só...



A mensagem está nas três linguas, Português, Alemão e Inglês para perceberam do que falámos e quem nós somos. Não coloquem rótulos no povo Português, na realidade voçês não nos conhecem, julgam que Portugal é o Algarve e pouco mais. Julgam que Portugal é sol, praias, boa comida e bom vinho.
Portugal é tudo isso mas é muito mais, é o país que deu novos mundos ao mundo.
Orgulhemo-nos da nossa história e de quem somos.
Os vendilhões de Portugal, não terão futuro nesta nossa terra.
Pátria ou morte, Viva Portugal !

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DA MENTIRA, DE QUE NINGUÉM QUER APURAR A VERDADE

“A SAGA DAS COMISSÕES QUE NADA RESOLVEM, NEM NADA APURAM, MAS QUE ENCHEM OS BOLSOS DE QUEM POR LÁ MANDA BITAITES. A TENTATIVA DE NADA DESCOBRIR”

ANEXO I
“Era uma vez um Carneiro e um Amaro que gostavam de voar
Que para um comício no norte vinham discursar
Nunca pensaram que os corruptos os podiam eliminar
E por isso explodiram no ar”
...

Um dia o rectângulo acorda estremunhado, pois algo muito grave tinha acontecido, tinha havido um acidente com o Primeiro-Ministro do rectângulo. Com ele também desaparece o da Defesa (Amaro), assim como a secretária do Carneiro e a mulher do Amaro. Também nesse acidente desaparece dois outros “os do Povo” mas esses são dispensáveis, há mais para substituir. Mas agora aqueles (o Carneiro, o Amaro e as senhoras), aí é que o rectângulo iria perder. Havia quem quase afirmásse que nunca mais o rectângulo se iria levantar, por tamanha perda.
Pronto cai o aeroplano, onde viajavam tão ilustres políticos, que já tinham transitado do conto anterior. Entra o rectângulo em transe, não sabe o que fazer, mas logo os da mesma “laia” dos que desapareceram, resolvem a questão.
“E QUE TAL DIZER QUE ISTO FOI UM ATENTADO, QUE FORAM OS COMUNISTAS”.
Claro que logo aí, os políticos e empresários corruptos do rectângulo, viram uma nova diversão e uma maneira de manter o Povo do rectângulo adormecido, para poder manobrar a seu belo prazer.
“ENQUANTO ANDAREM A TENTAR DESCOBRIR QUEM ATENTOU, OS ILUSTRES E PROEMINENTES AMIGOS DESAPARECIDOS, PODEMOS CONTINUAR NA NOSSA DEMANDA DE DELAPIDAR O RECTANGULO”.
Logo alguns políticos corruptos resolvem avançar que foram os (PC’S) a eliminar o Carneiro, o Amaro e suas senhoras, logo se organiza uma comissão de inquérito, na Assembleia, que está minada por aqueles que “se calhar” mandaram eliminar o Carneiro e o Amaro.
Para isso contam com o apoio do Soares, do Balsemão, do Freitas, do Santos, e de muitos outros políticos e empresários corruptos que viram que poderiam tirar dividendos de mais esta “benesse”
Assim o Povo do rectângulo, já teria mais um entretimento, já tinha com que se preocupar, pois é um povo que não gosta de fatalidades, é sempre pelos mais fracos e pelos coitadinhos, não gosta de injustiças e sempre podemos (os políticos e empresários corruptos) continuar a nossa saga de que comunismo, é “injecções atrás das orelhas” “que roubam tudo” “que não querem ninguém com dinheiro” “que não há nada para comer” “que deixa de haver lojas de roupas, sapatarias, mercearias e que todos temos uma senha para ir buscar aquilo que os comunistas nos querem dar”.
Grandes campanhas foram organizadas, e o povo sempre a acreditar e os que não acreditavam continuavam adormecidos. Claro que havia alguns (poucos), que logo se aperceberam que o rectângulo caminhava na mesma direcção de 1896, só faltavam as caçadas, as mordomias, o tirar a escolaridade (pois povo inculto é mais fácil de dominar, e de enganar), mas esses foram sendo calados, tanto através de lei como até por uma perseguição um tanto camuflada.
Muitas comissões se fizeram, todas com a ideia de arranjar um culpado, (esse culpado tinha de ser o PC), mas não conseguiam, não sabiam (ou sabiam e bem quem tinha sido), mas como haviam de dizer que tinham sido os comunistas.
Como mais tarde se vai saber afinal, foi um atentado, é verdade, mas foi organizado por os empresários corruptos, com a conivência de políticos corruptos do tal “arco do poder”, mas isso só será desvendado passados alguns anos deste relato, por um operacional, que foi contratado por figuras da altura, da qual até vai divulgar nomes, e a razão do atentado, mas que só o desvenda porque já passou o limite que a lei estabelecia para que não seja punido, nem desvenda os nomes de todos que o contrataram.
Mais um mistério, dos muitos que a partir deste episódio vão acontecer no rectângulo junto do oceano plantado.
Muito mais se vai passar, novos contos virão e a saga vai continuar.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

UM VERDADEIRO CONTO

O CONTO DO ADORMECIMENTO

CAPITULO VII


 “Um Povo desatento
Será sempre um Povo dominado
O político corrupto está atento
E não gosta de ser contrariado”
 




Um dia o rectângulo acorda de madrugada um pouco esbaforido, nova barafunda na capital do rectângulo, tornou a haver novo “golpe”, claro que este “vingou”, pois já tinha o apoio dos Carneiros, Freitas, Soares e mais alguns que andavam camuflados lá para os lados da extrema esquerda.
Nova mudança de rumo, agora alguns dos políticos e empresários corruptos que andavam escondidos, começam a sair da “toca”. Já se pavoneiam no rectângulo, já mandam “bitaites”, já exigem reformas para poderem dominar melhor e puderem continuar impunes aos crimes económicos e de corrupção, que vão fazendo e que estão com ideias de fazer. O povo esse continua a nada fazer, anda adormecido, apático, nada faz e os políticos e empresários corruptos, esfregam as mãos de contentes.
Para que o povo do rectângulo não acorde, os políticos e empresários corruptos, inventam uma distracção “começa a haver futebol na televisão”, inventa-se uma rivalidade entre os clubes de futebol do rectângulo “os do Norte são melhores que os do Sul” ou “os do Sul são melhores que os do Norte” além disso começa a imergir no rectângulo uma nova classe se corruptos, (os dirigentes desportivos) começa a haver dinheiro fácil para os clubes de futebol, pois convém continuar a adormecer o Povo do rectângulo. Nesta fase, já os Carneiros, Freitas, Soares e companhia, tudo minavam para poder alcançar o poder através das eleições que se avizinhava. Convinha eliminar os partidos que se preocupavam com o bem estar do Povo do rectângulo, convinha lhe fazer crer que os inimigos do rectângulo eram os outros que queriam acabar com a corrupção.
Fazem-se eleições no rectângulo, em vez de ser um acto cívico, que deve ser bem pensado, ponderado, para que o Povo, vote, escolha os seus representantes com a certeza de que eles os vão proteger e fazer leis que combatam a corrupção e os inimigos do rectângulo, não, fazem-se destas primeiras eleições uma verdadeira festa, foi um domingo diferente, mais parecia uma romaria, andava o povo todo contente, e os políticos e empresários corruptos, esfregavam as mãos de contentes, pois iriam legitimar o assalto ao “poder” no rectângulo. Ganhou o partido do Soares (PS), logo seguido do partido do Carneiro (PSD) tendo ficado o partido do Freitas (CDS) em quarto, estava montado o esquema legal de assalto ao “poder político e empresarial corrupto” no rectângulo. O povo do rectângulo, esse continuava a achar que nada lhe aconteceria.
Vão-se realizando novas eleições e são sempre os mesmos a ficar a governar (ora era do Soares, ora era o do Carneiro e quando não chegava para a maioria chamava-se o do Freitas). Era assim a vida dos governos no Povo do rectângulo, eram sempre os mesmos a governar-se e nada se fazia (mais parecia aquela frase “São os desígnios de Deus”). É por esta altura que alguém diz que estes três partidos (PS; PSD; CDS) são os partidos do “arco do poder” mas também ninguém conseguiu dizer que além desse “arco”, também se iriam tornar no “arco da corrupção e do compadrio no rectângulo). É também por esta altura que alguns políticos (que deixavam muito a desejar) fazerem afirmações como esta:
“O vencimento que aufiro como deputado do rectângulo, não chega para os charutos que fumo” – citação de um ilustre funcionário do rectângulo de nome Tavares, que por incrível que pareça mais tarde vai aparecer outro de mesmo nome, mas que terá a mania de ser comentador televisivo. Chama-se a este fenómeno a descendência.
É também nesta altura que os políticos e empresários corruptos do rectângulo fazem a terceira invenção – “OS SALARIOS EM ATRASO” .
Basicamente era assim, o povo do rectângulo, trabalhava, produzia, o empresário corrupto, com a conivência dos políticos corruptos que abundavam no “arco do poder”, vendia a produção, comprava veículos topo de gama (ferraris, porches, etc), e não pagava salários. Nada lhe acontecia, antes pelo contrário, condecorava-se o empresário corrupto, pois apesar de passar dificuldades financeiras, mantinha os “posto de trabalho” Em contrapartida quando o “povo” do rectângulo se revoltava, logo era mimado com umas bastonadas, dadas pelos guardas do rectângulo.
Por incrível que pareça o “povo do rectângulo” continuava a acreditar que os seus desígnios eram estes, que nasceu para passar sacrifícios e que era “Deus” e os “Clubes de Futebol” que assim os desejavam, que tinha de ser assim, pois senão nunca mais passava este rectângulo a um rectângulo evoluído.
Mas algo estava para mudar no rectângulo. Os políticos e empresários corruptos (os tais do arco do poder), resolviam perpetuar o “poder”, congeminavam com os “aliados novos”, com os “aliados antigos” e até com os que tentaram conquistar 2 vezes o continente onde o rectângulo pertence.
IRIAM VENDER O RECTÂNGULO. DEIXARIAM DE TER MOEDA PRÓPRIA. IRIAM FECHAR AS FÁBRICAS, AFUNDAR OS BARCOS DE PESCA, TRANSFORMAR OS TERRENOS AGRICOLAS EM HERDADES DE CAÇA, E TAMBÉM IRIAM ALARGAR OS SEU HORIZONTES PARA MANTER A CORRUPÇÃO ISTO JÁ FORA DO RECTANGULO.
Tudo apontava para ser um negócio fabuloso, mas para políticos e empresários corruptos, mas para o Povo do rectângulo, esse no principio iria ter algo que o manteria no adormecimento, mas depois...
Alguém alertou, mas o povo do rectângulo, não acreditou, algo de muito mau estava para vir, mas o povo do rectângulo não ligava, havia futebol, formula 1, havia concertos etc. Estava tudo muito bom.