sexta-feira, 16 de abril de 2010

Discoteca - Ars Nova

O "Ars Nova" foi outra das discotecas que conheci nos anos 80. A primeira vez que lá fui, foi comigo o meu amigo de infância Licínio "cascata" e fomos os dois á boleia com a minha irmã mais o namorado dela (o Rui...) que na altura tinha carro.
O "Ars Nova" ficava para os lados da Santa-Rita, um pouco acima do cruzamento onde está o seminário católico da "Formiga" na estrada que segue em direcção a Valongo.
Era uma vivenda com jardim á volta e foi durante uns bons anos ponto obrigatório de passagem nas noites do Porto.
O ambiente era muito bom, a musica excelente, e o espaço interior da discoteca estava muito bem aproveitado, sendo toda a decoração de muito bom gosto.
Assim após chegarmos lá a minha irmã entrou com o namorado dela, eu e o meu amigo "cascata" ficámos cá fora à espera para tentar entrar com algumas miudas que chegassem sózinhas, pois esta discoteca como todas as outras da altura davam preferência á entrada de casais.
Fumámos uns cigarros (na altura fumava...) conversámos um pouco e passado algum tempo vimos chegar um Citröen "boca-de-sapo" de onde saíram duas sensuais mulheres bem mais "maduras" que nós dois. Tirámos á sorte de quem seria o "infeliz" que ía pedir se podiamos entrar com elas e arricar-se a levar uma "NEGA", e esse "infeliz" fui eu...
Levei a "NEGA", fiquei aborrecido, e ainda por cima estive a levar musica durante algum tempo do meu amigo, enquanto elas passavam pelo meio da multidão que estava à porta a tentar entrar.
Estávamos na conversa a rir sobre a situação (para tentar descontrair...) quando ouço um pshhhh...
Olho para a porta da discoteca e vejo uma delas a acenar para nós e nem queria acreditar que nos estava a chamar. Fomos os dois, passámos pelo meio do pessoal que nos olhava com espanto (a pensar, como é que estes dois putos conseguiram convencer estas duas a deixá-los entrar com elas...) e assim que cheguei à sua beira ela disse-me... toma tens aqui um cartão para tí e outro para o teu amigo, pois os nossos amigos que deviam já estar cá, não vem!
Fiquei sem reacção perante a situação, só tive capacidade para dizer obrigado, e desaparecí para o interior da discoteca.
Mais tarde vimos as duas na pista a dançar, estivemos tentados a ir falar com elas mas o receio de levar tanga falou mais alto.
Voltei lá mais algumas vezes, mas nunca mais as ví...
Fantásticos anos 80/90.







4 comentários:

Jose Soares (cobrabtt) disse...

Tou a ver que também frequentavas as mesmas discotecas que eu. Claro que eu também frequentei esse, também a conheci, mas nunca tive a "sorte" de 2 "trintonas" me darem um cartão para ingressar na discoteca, pois senão...
Também é logico que depois dessa peripécia te sentisses inibido. Mas deixa lá, se fosse hoje, não eras tu a imaginar coisas, eram elas que te vinham buscar para dançar. Outros tempos, outras mentalidades, outras vivências. Não querendo ser soudosista parece-me que nascemos na epoca errada, ou então já eramos evoluidos demais para a época, isto nós e os nossos companheiros de infância. Que saudades dos tempos de juventude e das "borgas" que faziamos.

Piloto Automatico disse...

Parecem as minhas aventuras pelas discotecas do Estoril e de cascais, na mesma altura...
(Tu também fumaste? A minha alma está parva!)
Abraço
F

Henrique Mário Soares disse...

Pois fumei Amigo, mas um dia cansei-me e parei.
Fui deixando o cigarro de lado um dia, uma semana, um mês, um ano...e senti-me tão bem que nunca mais voltei a fumar.
e até à data nunca me arrependí da opção tomada.

Henrique Mário Soares disse...

Pois eu cá acho que não,foi um tempo maravilhoso e só tenho pena de nessa época não existirem os desportos que existem agora (áh o nosso BTT...). Mais o resto tudo nos anos 80/90 era bem melhor do que agora, ias a uma discoteca e deixavas o copo enquanto ias dançar e não tinhas receio de te meterem algo no copo, conhecias alguêm e não te ponhas a matutar sobre as reais razões da pessoa fazendo juizo de valor só porque dá cá aquela palha, eu acho que agora a sociedade vive com demasiado medos e no futuro só se falam pela net.
Já não será para o nosso tempo FELIZMENTE...
UM abraço Mano