domingo, 22 de junho de 2008

Desejo


Quem me dera ser marinheiro
E tempestades tuas enfrentar
Navegar á deriva em teu corpo
Em teus seios encalhar
Quem me dera ser marinheiro
E desta aventura me livrar
Á procura da desejada ilha
E lá perto naufragar
Não morrer nesta aventura
De ti prisioneiro ficar
Descobrir todos os encantos
Por eles me deixar enrolar
Quem me dera ser um Robinson
E tua ilha explorar
Colher o fruto proibido
Com ternura o devorar
Acender o fogo da paixão
Do calor dele desfrutar
Quem me dera ser marinheiro
Em teu corpo naufragar

(Henrique Mário Soares)

1 comentário:

Sandra disse...

Olá Crazy Crow - penso q já li este poema em algum lado... não?!?!
Parabéns pelo teu blog, está giro!
Beijinhos